Apenas montar o ponto de venda não basta. É necessário saber como utilizar o seu espaço para posicionar da maneira mais eficaz os produtos da sua empresa. Quer saber como fazer isso? Confira as nossas dicas deste post!

Um bom ponto de venda é um dos pré-requisitos básicos para qualquer empresa que possua o sonho de se destacar entre as maiores do segmento e “dominar” o mercado.

Quando estamos falando de um ponto de venda, estamos nos referindo ao posicionamento adequado dos produtos para oferecer uma boa experiência de compra para os shoppers. É importante que o comprador conclua o processo de compra sem dificuldades e chegue ao final satisfeito. Afinal de contas, sabemos que clientes satisfeitos são uma das ferramentas mais poderosas que uma empresa pode possuir em termos de marketing.

Contudo, essa sensação de satisfação não existirá caso o seu ponto de venda possua falhas. Fazendo um bom paralelo com a crença popular de “se julgar um livro pela capa”, os clientes julgarão os seus produtos a partir dos pontos de venda.

Os pontos de venda, ou PDV, são planejados e trabalhados pela sua equipe de trade marketing ou por uma agência de trade marketing. Mas, como deve ser feito este desenvolvimento do PDV? O que pode e o que não deve ser feito na hora de posicionar os produtos? É o que veremos agora!

Navegue e confira nossas dicas sobre como melhorar o seu ponto de venda

Texto 30 Dicas Para Pdv

Qual é a importância do posicionamento correto dos produtos no ponto de venda?

Hoje em dia, existem algumas maneiras de se trabalhar com o marketing e que se apoiam em tipos de experiência diferentes.

O inbound marketing, para se ter uma ideia, foca na produção de conteúdo para engajar os possíveis consumidores a comprar um determinado produto, diferentemente do Outbound marketing, que investe em ações nos meios mais tradicionais de comunicação, como revistas, TV, rádio e outdoors.

Por mais que a sua empresa divulgue os seus produtos das duas formas e faça um trabalho excepcional, lembre-se que é no ponto de venda que a decisão de compra será tomada.

O contato de verdade que o shopper terá com o produto está diretamente ligado a experiência no ponto de venda. Essa experimentação mais tátil, com o comprador podendo tocar, sentir, cheirar e quem sabe até mesmo ver o produto em uso, é fundamental para que ele não mude a sua ideia em relação a aquisição do produto.

Por isso, se você faz um bom gerenciamento das categorias dos produtos e sabe como apresentá-los, baseando-se no próprio comportamento do público, a sua empresa com certeza oferecerá uma experiência de compra mais agradável – o que contribui para o processo de fidelização destes novos clientes.

O que NÃO fazer em seu ponto de venda?

Antes de darmos dicas sobre o que colocar em prática para melhorar o PDV, é necessário aprender com os pontos de atenção. De nada adianta ter uma ótima execução do plano de trade marketing se um ou outro ponto crucial está falhando.

A prioridade deve ser corrigir esses erros e então partir efetivamente para as melhorias. Confira agora os 3 erros mais comuns cometidos pelos gestores de trade marketing ao gerenciar um ponto de venda:

Não mapear o público que frequenta o ponto de venda

Para qualquer ação que envolva o contato com o público-alvo de um produto, este ponto deve ser o primeiro passo dado. Ainda assim, muitas empresas negligenciam essa parte e acabam sentindo o peso dela somente após algum tempo depois, quando o investimento já foi feito e é tarde demais.

Conhecer o comportamento do público que estará envolvido com aquele PDV específico permitirá que você planeje como fazer a disposição dos produtos com mais eficiência, assim como quais são as experiências que podem motivar o shopper a finalizar a compra, como deve ser a comunicação e até mesmo questões mais visuais, como as peças de merchandising.

Não gerenciar o seu estoque

Tanto a falta de produtos quanto a sobra podem impactar negativamente a saúde financeira da empresa.

A falta dos produtos nos pontos de venda nem sempre reforça a ideia de que o produto é um sucesso. Na maioria das vezes, manter um estoque despreparado para uma demanda mais alta significa perca de vendas que dificilmente serão recuperadas no futuro.

Assim como a falta, a sobra também é prejuízo. Mercadorias que não são vendidas se tornam um capital que não girou e não gerou lucro nem para a empresa, nem para os distribuidores. No final, caso não seja descoberta nenhuma maneira de fazer com esses produtos parados sejam comprados, sua empresa ainda terá que arcar com o transporte ou o descarte deles. Então, mais atenção na hora de fazer o gerenciamento do estoque!

Equipe de vendas despreparada

Uma equipe de vendas despreparada pode colocar por água abaixo todo o esforço e investimento feito no visual e na experiência que o ponto de venda oferece para os seus shoppers.

Na verdade, o atendimento pode tanto quanto ser o fator decisivo para a compra, quanto para a desistência do shopper em relação ao produto.

Treine a equipe que fará o atendimento e transforme-os em verdadeiros embaixadores do produto da sua empresa. Vendedores que não sabem sobre o produto que estão vendendo tendem a prejudicar as vendas.

Dicas para melhorar a distribuição dos produtos no PDV

Como melhorar a relação dos shoppers com os produtos que a sua empresa oferece? Anote as nossas dicas:

Aproveite os pontos quentes

Chamamos de pontos quentes as áreas do canal de vendas nas quais há uma concentração maior de pessoas o tempo todo. São nesses pontos que se torna mais fácil de captar a atenção dos compradores.

Aproveite espaços perto dos caixas ou das saídas, por exemplo, para posicionar os seus produtos. Dessa forma, você fixa a imagem do produto no campo de visão dos shoppers.

Comunicação (falar não só sobre a utilidade, mas sobre o impacto do estilo de vida)

A comunicação é fundamental para que o interesse dos compradores seja despertado. Atenção: não nos referimos apenas a comunicação verbal ou textual dos materiais, mas também estamos falando da comunicação visual.

É importante que os materiais de merchandising não falem apenas sobre a utilidade do produto ou façam sua descrição, mas sim que contem histórias para gerar identificação e frisem qual é impacto de se consumir aquele produto específico na vida dos shoppers.

Iluminação e campo de visão dos shoppers

Não se esqueça de que a iluminação deve favorecer os seus produtos nas gôndolas dos PDV’s.

Utilize a luz de maneira inteligente para destacar os produtos e evite colocá-los longe do campo de visão dos shoppers. Pense nos diferentes tamanhos de pessoas que poderão frequentar o ponto de venda e na experiência que eles terão caso o seu produto não esteja tão acessível.

Experiências sensoriais

Seus produtos possuem alguma característica que pode se aproveitar dos sentidos dos compradores?

Além do estímulo da visão, que citamos anteriormente ao falar sobre a iluminação, você e sua equipe podem desenvolver experiências em que os outros sentidos serão estimulados também.

O manuseio dos produtos estimula o tato e gera confiança, já que o shopper terá um contato com o produto antes mesmo de decidir comprá-lo.

A utilização do olfato e do paladar pode ser feita através de ações de degustação e são poderosíssimos quando o assunto é convencer o shopper a realizar a compra.

A ambientação do PDV através de sons estimula a audição e pode tornar a experiência muito menos automática e proveitosa para os compradores que por ali passam.

Demonstre a utilização do produto e treine seus promotores

Confiança é o atributo que leva o shopper à compra e, consequentemente, à fidelização.

Possuir uma equipe de promotores demonstrando como os produtos da sua empresa se saem na prática é um ótimo atrativo e abrirá espaço para que os shoppers tirem todas as dúvidas que possuírem com os próprios promotores.

Cross-merchandising

Oferecer um produto juntamente com outro que está sendo disposto é uma ótima maneira de aumentar as vendas.

Produtos que são úteis no dia a dia, mas passam despercebidos ou são facilmente esquecíveis são ótimas opções em termos de crossmerchandising.

É importante ter cuidado nas associações e oferecer somente produtos que realmente façam sentido juntos. Caso contrário, essa prática irá gerar estranhamento nos shoppers e terá o efeito inverso.

Categorização dos produtos

Utilize as gôndolas e o espaço do PDV a favor dos seus produtos e posicione-os de maneira com que façam sentido dentro do percurso que o shopper faz dentro do canal de venda.

Estude os pontos de maior circulação e os tipos de produtos no PDV para posicionar os produtos da sua empresa ao lado dos que possuem relação com sua utilidade.

Dessa forma, os produtos seguirão um “curso natural” e dificilmente os compradores esquecerão que precisam dele.

Aprenda com as ações anteriores

Talvez esta seja a mais importante dica da lista.

Entenda quais foram os pontos altos e os pontos baixos das ações anteriores para que a sua empresa e o time de trade marketing responsável pelas ações consigam superar os pontos que deixaram a desejar e aprimorem ainda mais o que deu certo nos PDV’s!

Coloque as nossas dicas em prática e aumente as vendas no seu ponto de venda hoje mesmo!

Gostou das dicas que demos aqui e está se perguntando quando você deve colocá-las em prática no ponto de venda? Pois a resposta é agora mesmo.

Converse com os responsáveis pelo ponto de venda e, se necessário, elabora um plano de ação para que as melhorias sejam implementadas rapidamente no seu PDV.

Caso a sua empresa ainda não possua experiência e precise da ajuda de especialistas, que tal vir falar com a gente? A Electi é uma agência de trade marketing com mais de 17 anos de experiência no mercado e está pronta para ajudar você e sua empresa a darem vida nova aos pontos de vendas.

Acompanhe a Electi nas redes sociais! Siga os nossos perfis no Facebook, Instagram e LinkedIn e fique por dentro de todas as novidades.

Gostou desse conteúdo? Possui dúvidas ou sugestões de assuntos que deseja ver em nosso blog? Nos envie uma mensagem! Ficaremos extremamente felizes em conversar com você.